English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

domingo, 6 de maio de 2012

UMA NOVA CONCEPÇÃO

  





Se o Ensino Médio colabora para o apartheid-social, não tenho nenhuma dúvida, ninguém leva a sério a educação do Brasil. Há décadas sem nenhuma prioridade, posto que, assumi-o o sexto lugar da maior economia mundial, para torna-se um país de desenvolvimento, precisa-se de grandes mudanças urgentemente. O Produto Interno Bruto(PIB) do país está abaixo de 5%. Nunca seria-o um transformador de cidadãos dá vossa juventude com índice medíocre. Quando sairam do Ensino Médio não alcança o mesmo desempenho das escolas privadas. Infelizmente, as cotas adenta a diminui este desiquilíbrio social.
Temos de constitui uma educação de um alto nível, porque é direitos de todos , favorecendo apenas uma minoria elitista. Portanto, necessita-se de uma reforma educacional.
Os professores há de possuir um salário digno pra exercer uma função social, de tamanha importância ao desenvolvimento da população. No mínimo, recebê-los o PIS que é de direito - de R$ 1.527.00. Nisso lhes irão atrair os bons profissionais, e ainda oferecê-los cursos de constante atualização. Desse modo, valoriza-os e motiva-os. Os diretores carecem de uma atenção especial nessa transição; peça fundamental no progresso. Deveriam de ser concursados e nunca nomeados por uma indicação política; também seriam envolvidos pedagogicamente ( restringindo-os o administrativamente). Com a burocracia que é hoje. Outra mudança seria horário integral: as escolas do país( tanto escola estatal ou privada) passaria a funcionar durante seis horas por dia, das 8 às 14 horas ou das 9 às 15 horas. 
O bairro pode ser cinza, mas a escola tem de brilhar. A sociedade exige um ensino igualitário, a qual o docente tenha condições digna de trabalhar; e o aluno uma aprendizagem justa .Deixo os leitores pra meditarem, com uma frase do professor Paulo Freire: Mudar é difícil, mas é possível.


(Dom Quixote)

Nenhum comentário:

Postar um comentário